Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Quando levar seu filho ao fono?

Pessoal, tenho observado algumas amigas que levam seus filhos(as) ao fonoaudiólogo... por conta própria e também por indicação da escola... Bom, e também (nem todos sabem) auxilio um abrigo de menores, que me pede, as vezes, que acompanhe crianças a uma clínica de fono, aqui em Indaiatuba. Daí fiquei com "aquilo na cabeça", como (e quando) identificar a necessidade de acompanhamento de fonoaudiólogo em nossos pequenos?

Fui atrás do assunto e descobri que a Fonoaudiologia é a ciência que estuda os distúrbios da comunicação humana, seja ela oral ou escrita, englobando os distúrbios da fala, linguagem, voz, leitura e escrita. Além disso, trabalha com a audição, órgãos fonoarticulatórios (lábios, dentes, língua, bochechas e "céu da boca") e sistema estomatognático (respiração, sucção, mastigação e deglutição). O que significa que o Fonoaudiólogo trabalha com alterações na fala, voz, linguagem, leitura e escrita, respiração, mastigação, deglutição e estética facial.

Todo indivíduo, em qualquer fase da vida, que apresente uma ou mais alterações citadas acima, como por exemplo, indivíduos que apresentem trocas de letras, crianças com atraso na fala, profissionais que façam uso da voz, crianças e adolescentes com dificuldades escolares, respiradores bucais, indivíduos com Parkinson, Alzheimer e que tenham sofrido "derrame", entre outros, devem procurar o fonoaudiólogo.

Neste caso, vejamos algumas mitos/verdades acerca das nossas crianças:

1. É verdade que a chupeta atrapalha o desenvolvimento infantil?
Sim. Assim como outros hábitos deletérios como, uso de mamadeira, "chupar dedo", roer unhas, ranger os dentes, entre outros. Estes hábitos ocasionam um mau posicionamento dos órgãos orais (boca, bochecha e língua), interferindo na respiração, mastigação, deglutição e fala, que poderão se desenvolver de maneira incorreta, necessitando de correção.

2. Até que idade o uso da chupeta e mamadeira podem ser feitos sem prejuízos?
O ideal é evitar o uso contínuo de qualquer um destes artefatos. Caso sejam utilizados não devem ultrapassar os dois anos de idade.

3. Meu filho está demorando a falar, o que devo fazer?
O esperado é que as crianças comecem a falar com aproximadamente um ano de idade, ultrapassando excessivamente esse período é necessário que se faça uma avaliação profissional para se saber qual a causa. Não se deve esperar além de um ano e meio de idade se não houver nenhum tipo de fala.

4. Meu filho fala errado, até que idade é normal? Quando devo procurar um fonoaudiólogo?
Atualmente as crianças estão muito precoces, não se deve esperar além dos quatro anos de idade para que a fala esteja ocorrendo corretamente. O que ainda é esperado nesse período são erros de conjugação verbal (ex. "mamãe olha o desenho que eu fazi") e transposições em palavras longas (ex. toconete ao invés de cotonete).

5. Meu filho está gaguejando, o que devo fazer?
A gagueira pode ocorrer sem ser um problema na fase de desenvolvimento da fala, até aproximadamente os cinco, seis anos de idade, desde que seja caracterizada apenas por repetições e prolongamentos, sem tensão ao falar (ex. pai, pai, pai, ééééé.... hoje eu fiz um gol no futebol). Caso haja bloqueios, tensão e/ou movimentos associados como "piscar olhos", "apertar os lábios", "balançar as mãos", deve-se procurar um fonoaudiólogo para uma avaliação.

6. Meu filho tem deficiência auditiva, colocando o aparelho ele iniciará a fala?
Não. Após a colocação do aparelho é necessário que a criança seja habilitada, ensinada a ouvir, produzir e entender os sons que agora chegarão ao ouvido.

7. Qual o papel do fonoaudiólogo na escola?
O fonoaudiólogo atua na orientação a professores e pais no processo de desenvolvimento da fala e aquisição e desenvolvimento de leitura e escrita. Também pode realizar triagens fonoaudiológicas em alunos que apresentem dificuldades, por solicitação de professores e coordenadores pedagógicos.
Não é permitido a realização de terapia dentro de escolas.

8. Meu filho está na alfabetização e está trocando as letras na escrita, o que devo fazer?
Qualquer criança que apresente qualquer tipo de dificuldade no processo de alfabetização deve ser encaminhada imediatamente para uma avaliação fonoaudiológica, para detecção de possíveis alterações nos processos de aprendizagem.  Neste caso, inicialmente deve-se entrar em contato com a escola para se verificar o desempenho da criança dentro da sala de aula e possíveis fatores que possam estar influenciando em sua aprendizagem, como dispersão, sonolência, conversa em sala, falta de interesse. Em seguida deve-se encaminhar a criança para uma avaliação psicopedagógica e/ou fonoaudiológica, uma vez que quanto antes à detecção das dificuldades e início do tratamento, mais eficiente e eficaz o resultado, minimizando os prejuízos advindos do atraso escolar.

9. Meu filho sempre fica rouco ao fim do dia, o que devo fazer?
Deve-se procurar inicialmente um otorrinolaringologista para avaliar a causa da rouquidão. Havendo detecção de mau uso vocal ou problemas funcionais-orgânicos das pregas vocais a criança deverá ser encaminhada para avaliação e tratamento fonoaudiológico.